segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Portugal ferreirista e as burkhas disfarçadas.


É hilariante e absurdamente grotesco ouvir Manuela Ferreira Leite dizer que se quer destruir as famílias e as bases da sociedade, ao caminhar-se pelas estradas da nova lei das uniões de facto, do casamento entre pessoas do mesmo sexo ou na legislação que desembrulha o embrulhanço do divórcio. A líder do PSD não entende que não é dificultando o divórcio, que não é criando processos de divórcio morosos, lentos e burocratizados, que não é restringindo o casamento a heterossexuais nem desvalorizando e remeter para o campo das "coisas menores" as uniões de facto, que a sociedade se constrói melhor em si mesma. É justamente uma sociedade que tolera, que respeita a diferença e que não trata de forma diferente as desigualdades que lhe são intrínsecas, pois que estas desigualdades existem e evoluíram até aqui, pelo mérito e respeito que lhes são inerentes. Não podem as sociedades, nem as politicas, nem as leis impôr uma visão de valores e de ideias, baseadas em puros dogmas de religiosidade, em visões de futuro e da vida em sociedade que se baseiam numa pseudo-tolerância cristã, ou em valores arcaicos que parecem muito bem quando ditos e tresditos, sem que eles traduzam aquilo que é a realidade e a natureza das coisas presentes. Votar PSD nas próximas eleições é votar numa ideologia arcaica, em que os valores não são mais do que a tradução mental de interiorizações católicas e espirituais. Votar PSD é votar num sistema de pensamento secular, colado a noções rígidas e dogmáticas que teimam em não se adaptar ao mundo contemporâneo. A visão de futuro, a visão progressista e inovadora, a visão de um sistema de valores que é, antes de mais, inerente ao Homem que vive em sociedade, ao ser social e ético que somos, e não a mandamentos ou assombros de pecado, essa visão de amanhã é partilhada pela esquerda moderna. Os valores sociais desta visão progressista são o resultado e a premissa de uma vida social colectiva. Esta futuro de modernidade, de adaptação à realidade, de progresso só pode ser alcançado votando contra as politicas arcaicas, discriminadoras, anti-sociais, inadaptativas,conservadoras e estáticas que são as políticas da direita.


Em que país vive Manuela Ferreira Leite? É certo que a líder da oposição gostaria de viver num em que o divórcio fosse fonte de problemas legais e burocráticos, em que a união de facto, ou de facto, as uniões que não o casamento, merecessem ser menosprezadas, desvaloralizadas, colocadas em segundo plano face ao casamento... quereria viver certamente num país em que só homens e mulheres pudessem casar e todos os outros não casados deveriam ser taxados por não cumprirem os pseudo-desígnios da sociedade e da família clássica cristã. Manuela Ferreira Leite não vive em Portugal nem na Europa da era moderna. Manuela Ferreira Leite gostaria de um Portugal de burkha...

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Towards freedom


Culpada e condenada a mais 18 meses em prisão domiciliária. Ler notícia aqui.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Alice in wonderland

video

De quem mais podia ser senão do Tim Burton e metendo Johnny Depp à mistura? Resta saber a quem saiu o trunfo de ser a Rainha de Copas e mandar cortar a cabeça de toda a gente. Se bem que não é necessário alguém mandar fazer isso, senão veja-se o que gente conhecida faz em Portugal publicamente...autênticas decapitações auto-infligidas. É para Março de 2010, que é como quem diz em Portugal, aí lá para o Natal desse ano.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A importância da coisa, do coiso e do coiso na coisa.

"Satisfaction (sexual, life, relationship and mental health) is associated directly with penile-vaginal intercourse, but inversely with other sexual behaviour frequencies"
Stuart Brody and Rui Miguel Costa, West of Scotland University, Paisley

Estes fabulosos psicólogos, com base num estudo feito em 2810 indivíduos, concluiram que só o sexo vaginal é que está relacionado com satisfação pessoal e saúde física/psíquica e que todas as outras práticas estão inversamente relacionadas com estados de felicidade, realização, satisfação pessoal e saúde mental.
Mais, Broody S. e Costa RM afirmam que a falta de penetração vaginal pode explicar o maior número de homossexuais com problemas mentais. Que estranho... Eu pensava que as perturbações de ansiedade e depressão eram prevalentes nos gays e lésbicas talvez porque ainda vivamos numa sociedade em que eles são considerados pessoas de segunda, não pessoas, invertidos ou diferentes e ainda exista homofobia, que além de entranhada está institucionalizada. Pensava que os gays e lésbicas sofriam mais de depressão e ansiedade porque são empurrados para dentro do armário, do qual há séculos tentam sair.
Para rematar em beleza, dizem os autores que o VIH está a aumentar de prevalência nos heterossexuais devido às práticas de sexo anal essencialmente, remetando para o plano das "improbabilidades" a transmissão do vírus pela via vaginal. E como se já não bastassem estas "pérolas" da psicologia da sexualidade, dizem que a masturbação está associada a menos satisfação e que quanto mais se masturba mais infeliz e inrealizado é o praticante. (A masturbação inimiga portanto). "As pessoas devem ser encorajadas a ter o melhor coito vaginal possível." defendem os autores da obra prima.
Eu a pensar que a melhor forma de realização pessoal, sexual, saúde física e mental, é ter a relação sexual que quisermos, das múltiplas formas que quisermos, com quem quisermos e as vezes que quisermos...desde que haja acordo mútuo. Estava enganado afinal....